Campeonato Maranhense | Sampaio Correa 3 x 1 Moto Club

Estádio VIP tudo sobre o jogo e sobre seu time: http://www.estadiovip.com.br

Fique por dentro do mundo do esporte: https://www.facebook.com/esportelovers

Curtam nossa página: http://www.facebook.com/LeandroSportsVideos

MARANHENSE: Sampaio Corrêa bate Moto Club por 3 a 1 e se apróxima da final
Equipe vence bem jogo de ida das semifinais e joga por derrota por até um gol para classificar

Com uma hora de atraso, a bola rolou no Castelão já com a noite chuvosa pintando no céu, e com uma verdadeira batalha disputada no gramado, que valia muito mais do que uma simples vaga na final do estadual.

Tinha muita rivalidade em jogo, e não é preciso nem sublinhar que as equipes deixariam sangue em campo pela vitória, que começou se interessando, primeiramente, pelo lado rubro-negro.

Em desvantagem, o Sampaio fez o que se esperava; partiu pra cima querendo igualar tudo ainda no primeiro tempo e se lançou com um ímpeto voraz sobre o Moto, que nem a chuva intensa foi capaz de arrefecer.

Insinuante, impossível, Pimentinha não deixou a defesa adversária em paz e empatou o jogo com um belo gol. Festa Tricolor nas arquibancadas drenadas do Castelão

A igualdade estava estabelecida, mas o resultado estava muito aquém das pretensões bolivianas, e Robert sabia exatamente disso. Instantes depois, Pimentinha desmontou a zaga do Moto e cruzou na área, o artilheiro do Brasil não perdoou. A virada estava estampada no placar.

Ainda sobrou tempo para a arbitragem deixar o Sampaio em desvantagem numérica. O Tricolor teve que se desdobrar em campo durante todo o segundo tempo com um jogador a menos.

Mas um gigante não se abate facilmente. A desvantagem quase não foi sentida na etapa final, e o Sampaio se portou com autoridade, catedrático, sem se expor, nem correr riscos. Dominava, tocava a bola e esperava o momento certo para o bote fatal, como um autêntico tubarão em seu território. Debaixo d’água, só pode haver um sobrevivente.

Quando Edgar foi lançado em velocidade, a arquibancada toda se levantou e o atacante Tricolor, indomável, insano, destruiu completamente a defesa do Moto, e, como na música, só não entrou com bola e tudo porque trilha os caminhos da humildade. Sampaio 3×1. Estava decretada a vitória categórica da Bolívia Querida.

A desvantagem foi revertida. Agora o Tricolor é quem obtém o direito do empate e até a possibilidade de avançar à final com uma derrota por um gol de diferença, mas se alguém pensa que o Sampaio se acomoda com essa possibilidade, é melhor começar a rever seus conceitos.

Compartilhe Agora!

Recomendados Para Você:

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Transforme seu Lazer em Algo LucrativoSaiba Mais >>